Previsões para 2017 “O ano de Saturno”

saturnomisticos

Saturno é o regente de 2017 e do próximo Grande Ciclo

Em relação à regência, 2017 tem uma característica especial que precisamos entender antes de qualquer análise. É que em 2017 temos o inicio de um novo Grande Ciclo Astrológico regido por Saturno, ciclo esse que vai até 2052.

Segundo a tradição astrológica, um determinado planeta governa por um ciclo de 36 anos. Isto significa que de 36 em 36 anos vivemos sob a influência deste planeta e que suas características irão permear todo aquele período.

Ou seja, a cada 36 anos temos um novo Grande Regente do Ciclo, quando o planeta que vem a seguir do Grande Regente do Ciclo anterior assume a liderança pelos próximos 36 anos. Neste mesmo ano se inicia também um novo ciclo menor anual, que determina os planetas regentes anuais a partir do planeta que está assumindo a Regência do Ano. Assim sendo, o primeiro ano de cada ciclo maior é governado apenas pelo Grande Regente de Ciclo e em seguida cada ano tem seu próprio Regente Anual.

Regência de Ciclo (muda a cada 36 anos)
A Grande Regência de Ciclo é determinada pela seguinte ordem:
Saturno/Vênus/Júpiter/Mercúrio/Marte/Lua/Sol

Regência do Ano (muda de ano em ano)
A ordem de regência anual dos planetas se inicia pelo planeta mais lento e termina no mais rápido.
A sequência anual é a seguinte:
Saturno/Júpiter/Marte/Sol/Vênus/Mercúrio/Lua

Para que você entenda melhor, se em 2017 não tivéssemos um novo início de ciclo, o regente seria Vênus, conforme a ordem da Regência do Ano. Mas, começará um novo ciclo de 36 anos… Logo, por ser o primeiro ano deste novo ciclo, 2017 inicia uma nova sequência, já que o Grande Ciclo do Sol se fechou em 2016. Saturno iniciará também, em 2017, um novo ciclo de Regência Anual, que em 2018 terá Júpiter como regente e assim sucessivamente, conforme a ordem da Regência do Ano.

Vale ressaltar ainda que em cada um dos próximos 35 anos teremos então a influência do planeta Regente do Ano conjugada à influência de Saturno, o Planeta Regente do ciclo maior de 36 anos que se inicia em 2017.

Mas vamos a 2017!

Estamos saindo se um Grande Ciclo regido pelo Sol, o que significa que o egocentrismo, a individualidade e a necessidade de brilho pessoal perante o mundo têm orientado nossos atos e nossos pensamentos. Em 2017 estaremos sob a influência de Saturno, e a tendência é que sejamos um pouco mais sérios, mais austeros e que um espírito de economia e circunspecção irá nos orientar. As questões pessoais irão perder a importância e poderemos perceber a realidade de forma mais objetiva. Será um ciclo de ajuste de contas, de aparar as arestas, de cair na real…

Veja a seguir como será o ano regido por Saturno, o Senhor do Tempo!

O planeta Saturno é um dos corpos celestes mais incompreendidos e temidos da simbologia astrológica, porque representa tudo aquilo que diz respeito à nossa responsabilidade e às nossas obrigações, conosco e com a sociedade em que vivemos.

Este planeta amedronta algumas pessoas porque é considerado o princípio organizador da vida, portanto, amadurecimento e responsabilidade serão cobrados com maior intensidade no próximo período.

Saturno é temido como se fosse um deus implacável e insensível, podando nossas expectativas e nossas esperanças. Mas há uma distorção neste olhar. É preciso que olhemos para ele como um mestre mais idoso e mais severo, mas também como portador de um componente de sabedoria e ponderação que nenhum outro planeta do panteão astrológico possui.

Saturno só é implacável naquilo em que estamos fraquejando ou deixando de cumprir dentro do que é nosso dever. É importante lembrarmos que nada do que nos cabe como dever e responsabilidade nesta vida nos é imposto de fora para dentro, mas sim surge como consequência inevitável da nossa maturidade e das opções que fazemos quando atingimos essa maturidade.

Assim sendo, o planeta que nos orientará em 2017 nos proporcionará uma boa dose de sabedoria, mas para isso é necessário compreender que precisaremos enfrentar a realidade. Devemos aceitar que nossa consciência necessita ser ampliada de acordo com aquilo que nos rodeia.

Também é bom lembrar que no seu lado positivo, Saturno é consolidador dos projetos e representa o nosso lado mais realizador e empenhado em construir algo de sólido em nossa vida. Ele tem um papel importante também em tudo o que diz respeito à nossa vida profissional, à nossa carreira e ao espaço que ocupamos na sociedade com nossa atividade e nosso trabalho. E o tempo (“cronos”, o nome grego de Saturno), é um fator fundamental na maturação de tudo o que esperamos na vida, portanto a paciência e a perseverança também são elementos indispensáveis para podermos extrair o melhor que Saturno pode nos oferecer no ano de 2017 e, ao longo de todo o ciclo que o planeta influenciará.

Em suma, Saturno nos pedirá para sermos mais sábios diante da vida, mais maduros, mais responsáveis. Ele poderá nos ajudar a descobrir nossa capacidade de perseverar nos desafios, concretizar metas e objetivos de vida e, sobretudo, assumir nossas responsabilidades com astúcia, determinação e coragem!

Consagre seu lar…

agora11631

Dentro do Círculo infinito da divina presença que me envolve inteiramente, afirmo:
Há só uma presença aqui – é a da Harmonia, que faz vibrar todos os corações de felicidade e alegria. Quem quer que aqui entre, sentirá as vibrações da divina Harmonia.

Há só uma presença aqui – é a do Amor. Deus é Amor, que envolve todos os seres num só sentimento de unidade. Este recinto está cheio da presença do Amor. No Amor eu vivo, movo-me e existo. Quem quer que aqui entre sentirá a pura e santa presença do Amor.

Há uma única presença aqui – é a da Proteção Divina.

Tudo o que aqui existe, tudo o que aqui se pensa,  tudo o que aqui se fala, tudo o que aqui se faz, é envolvido pela Proteção Divina. Quem quer que aqui entre, ou sobre aqui pense, automática e imediatamente receberá os efeitos da Proteção Divina agindo sobre este lugar.

Há só uma presença aqui – a da Justiça. A Justiça reina neste recinto.

Todos os atos aqui praticados são regidos e inspirados pela Justiça.

Quem quer que aqui entre, sentirá a presença da Justiça.

Há só uma presença aqui – é a presença de Deus.

Deus reside aqui.

Quem quer que aqui entre, sentirá a presença divina de Deus.

Há só uma presença aqui – é a presença de Deus, a Vida. Deus é a Vida essencial de todos os seres, é a saúde do corpo e da mente.

Quem quer que aqui entre, sentirá a presença da Vida e da Saúde.

Há só uma presença aqui – é a presença de Deus, a Prosperidade. Deus é Prosperidade, pois Ele faz tudo crescer e prosperar.

Deus se expressa na prosperidade de tudo o que aqui é empreendido em seu nome.

Quem quer que aqui entre, sentirá a divina presença da Prosperidade e Abundância.

Pelo símbolo Esotérico das Asas Divinas, estou em vibração harmoniosa com as correntes universais da Sabedoria, do Poder e da alegria. A presença da Divina Sabedoria manifesta-se aqui nos atos e expressões de todos aqueles que aqui entrarem.

A presença do Poder Divino manifesta-se aqui. A presença da Alegria Divina é profundamente sentida por todos os que aqui penetrarem.

Na mais perfeita Comunhão entre meu eu inferior e meu Eu Superior, que é Deus em mim,

Consagro este recinto à perfeita expressão de todas as qualidades divinas que há em mim e em todos os seres.

As vibrações de meu Pensamento são forças de Deus em mim que aqui ficam armazenadas e daqui se irradiam para todos os seres, constituindo este lugar um centro de emissão e recepção de tudo quanto é bom, alegre e próspero.

Agradeço-Te, ó Deus, porque este recinto está cheio de Tua Presença.

Agradeço-Te, porque vivo e me movo por Ti.

Agradeço-Te, porque vivo em Tua vida verdade, saúde, prosperidade, paz, sabedoria, alegria e amor.

Agradeço-Te, porque todos os que entrarem aqui sentirão Tua presença.

Agradeço-Te porque estou em Harmonia, Amor, Verdade e Justiça com todos os seres.

 

A ARTE DA GRATA ACEITAÇÃO

agora13402

Uma vida que não conhece a tristeza, as lágrimas, permanece pobre. A vida precisa conhecer uma variedade enorme de experiências para tornar-se rica. Quanto mais você conhecer diferentes aspectos da existência e ainda assim continuar inteiro e centrado, mais a sua vida se enriquecerá a cada momento, a cada dia.

Olhe sempre para a vida como um processo dialético. Nesta vida, a noite traz o dia. Nesta vida, a morte traz uma nova vida. Nesta vida, a tristeza traz uma nova alegria. Nesta vida, o vazio traz um novo preenchimento. Tudo está em conexão… tudo é parte de um todo orgânico.

Nós criamos os problemas por dividir as coisas. Aprenda a arte de não dividir, e simplesmente continue alerta, vigilante, apreciando o que quer que a vida lhe proporcione.

Apenas lembre-se de uma coisa: aceitar tudo que a vida lhe dá. Se ela lhe dá escuridão, aprecie isso, dance sob as estrelas da noite escura, lembrando-se de que cada noite não é nada mais do que o útero para um novo alvorecer, e que cada dia irá novamente descansar na escuridão da noite.

Quando é outono e as árvores ficam nuas e todas suas folhas caem, observe as velhas folhas voando ao vento, quase dançando. E as árvores, nuas, têm a sua própria beleza e, contraste com o céu; mas elas não irão continuar nuas para sempre. As velhas folhas tiveram que cair apenas para dar lugar às novas folhas, às novas flores.

A existência continua a renovar a si mesma a todo momento. Você deveria manter-se sintonizado com a existência; nunca peça por nada diferente.

Esta é a raiz básica da miséria: quando é noite, você chora pelo dia; quando é dia, você chora pelo repouso da noite. Então, a vida torna-se uma miséria, um inferno.
Você pode torná-la um paraíso apenas por aceitar o que quer que lhe seja dado, com um coração agradecido. Não julgue se é bom ou mau. Sua gratidão transformará tudo em uma bela experiência, aprofundará sua consciência, elevará o seu amor e fará de você uma bela flor com muita fragrância.

Aprenda apenas a arte de uma grata aceitação. Buda chamava a isso de filosofia do assim é; não importa o que for, aceite isso como a própria natureza da realidade. Nem mesmo imagine ir contra. Nunca vá contra a corrente; apenas siga o rio onde quer que ele o leve.

Osho

I CHING…

 

agora987

 

O I Ching é a base da sabedoria chinesa, um conjunto de estudos que analisa o mundo e o homem, passando por astronomia, matemática, fenômenos, etc. O Livro das Mutações é a obra sagrada e milenar sobre esse ensinamento, que tem como um dos objetivos o autoconhecimento. É mais famoso no mundo ocidental por ser um oráculo (ensina dois rituais, um com moedas e outro com varetas para que o leitor o consulte com perguntas), o que de fato é, mas não apenas. Para entender o I Ching devemos primeiro absorver o significado desses termos. Na China antiga, o nome de uma coisa não era considerado apenas um rótulo, mas “uma expressão do ser”, como explica o tradutor, no prefácio da edição brasileira citada. A designação “I” é um símbolo (ou “ideograma”) de máxima importância na sabedoria chinesa. Significa mutação, que é o centro do pensamento chinês: tudo é mutável, menos a própria mutação, que é constante, e isso demonstra a essência da vida. “Ching” quer dizer “clássico”, ou seja, a tradução em português mais literal da obra seria “O Clássico das Mutações”.

Inicialmente o livro tinha mais símbolos do que palavras, o que exigia uma interpretação rigorosa. Ao longo dos séculos, diferentes sábios acrescentaram textos explicativos, que facilitam a vida do leitor, embora restrinjam o significado mais puro dos símbolos. Os tais símbolos são os 64 hexagramas (figuras formadas por 6 linhas) compostos a partir da combinação de 8 trigramas que representam os estados essenciais da natureza e do Universo (veja indicações ao lado). Cada um deles vem com um “Julgamento” acompanhado de outros textos interpretativos da figura e no que seus significados podem se desdobrar. A estrutura do livro tem várias ramificações, entretanto sua linguagem não é difícil. Pelo contrário, busca a simplicidade. Mas para isso o leitor tem que entrar no espírito dos orientais e não buscar respostas rápidas ou superficiais. O próprio I Ching ensina isso e o oráculo pode “se negar” a responder a sua pergunta.

QUEM ESCREVEU

A tradição chinesa atribui a um ser mítico de nome Fu Hsi a criação de toda a base da sabedoria da China, representada na escrita pelo I Ching. Fu Hsi teria estudado o céu, a terra, os organismos e nomeado os Kua (cada símbolo), com seus traços e representações simbólicas antes da dinastia Chou (1150 a.C.-249 a.C.), por volta de 5000 a.C. Posteriormente, textos foram acrescentados pelo rei Wên (escreveu os trechos de “Julgamento”) e pelo duque de Chou (“Linhas”) já na dinastia homônima. As chamadas “Dez Asas” foram escritas pelo famoso sábio Confúcio, responsável pelo nome “Ching” da obra. Quem trouxe O Livro das Mutações para o mundo ocidental foi o tradutor alemão Richard Wilhelm, em 1923, depois de quase 10 anos de trabalho.

 

POR QUE MUDOU A HUMANIDADE

É uma das mais importantes obras do mundo e provavelmente a mais antiga já divulgada. Os chineses foram pioneiros em organizar métodos para a busca do autoconhecimento, por isso a sabedoria desse povo é tida até hoje como sólida referência da cultura oriental.

“Abençoar significa ajudar. O céu ajuda ao homem de devoção; os homens ajudam a quem é sincero. Aquele que caminha na verdade e pensa com devoção, reverenciando ainda aos homens dignos, é abençoado pelo céu. Ele encontra a boa fortuna e tudo lhe é favorável”

(comentário de Confúcio no hexagrama Ta Yu / Grandes Posses)