Arcano do dia -“Quatro de Espadas”

quatroespadas

Iniciamos a semana com a bela Rainha de Paus, trazendo aí a energia do fogo para as grandes realizações, mas hoje o quatro de espadas aparece para pedir a pausa, a reflexão e o pensamento claro.

Quando não há nada que possa ser feito, o jeito é saber esperar. Porém, quem hoje consegue se permitir ficar quieto e não intervir? A ansiedade é tanta que precisamos nos sentir no controle da situação, ao ponto até de determinar como outros devem ou não agir.

Se isso sempre trouxesse resultados positivos, ainda haveria uma razão de ser. Entretanto, observamos que, na prática, quanto mais ficamos em cima de algo mais a situação se complica.

Assim, de vez em quando é simplesmente melhor dar uma recuada e se permitir deixar o tempo passar. Muitas vezes isso significa ficar um tempo só, após sucessivas tentativas fracassadas de relacionamento ou tirar férias, quando não conseguimos encerrar um trabalho de jeito nenhum.

O importante é se permitir dar um tempo, até mesmo para reorganizar as ideias, relaxar, descansar, ou obter uma perspectiva diferente da vida. Afastar-se também pode ajudar os outros a perceber a importância que você tem na vida deles. Ou seja, se você estiver sempre presente, seja no trabalho, seja nos relacionamentos, nunca fará falta.

Boa terça-feira a todos!

Namastê!

Arcano do dia – “A Temperança”

temperança

Quando a mente está equilibrada com os sentimentos e o consciente cede espaço para o inconsciente, passa a estar verdadeiramente integrado. Torna-se uno respeitando todas as suas diferenças.

Luz, amor e equilíbrio para que você seja quem realmente é!

Namastê.

Você já percebeu que definimos quando devemos deixar a razão comandar e quando devemos deixar a emoção fluir? Fazemos isso em vários aspectos na vida: no trabalho, razão; no casamento, emoção; nos estudos, razão; na família, emoção.

Tentamos controlar e garantir que a emoção não apareça quando não deve ou que a razão não se imponha fora de seu âmbito. E, assim, trabalhamos e aprendemos da forma mais racional possível e somos excessivamente emocionais em nossas relações de intimidade.

Quanto desequilíbrio! Se deixarmos que nossas sensações venham a tona durante o trabalho, conseguiremos ter outra percepção de nossa atividade, seremos mais criativos, mais intuitivos e, com certeza, mais assertivos em nossas ações. Sem contar que o prazer que sentiremos em exercer nossa s atribuições tornarão nossos dias mais leves, menos estressantes e mais satisfatórios.

Quantas vezes nos envolvemos demasiadamente na emoção, deixando-nos enredar por rancores, mágoas, tristezas, angústias? A emoção não é apenas bela, ela também tem seus aspecto doloroso. A razão é fundamental para nos trazer de volta ao prumo, a sair daquele enrosco repetitivo e amargurado. A razão nos ajuda a refletir, a voltar à realidade, a colocar os pés no chão e a mudar nosso estado emocional.

Não existe atividade profissional em que a emoção não tenha lugar, não existe nenhum relacionamento em que a razão não tenha função. Não somos só razão ou emoção. Precisamos exercitar sua integração e deixar que ambas atuem, com o mesmo peso, em todos os momentos de nossa vida.

Texto de Magda Kundara