Arcano do dia – “Cavaleiro de Espadas”

príncipedeespadas3

Quando essa carta sai numa tiragem ela nos alerta para o fato de estarmos vivendo um momento muito propício para estabelecermos novas prioridades e objetivos, planejarmos a maneira de alcança-los e partirmos para a sua conquista ou realização. É o prenúncio de um período de novas buscas, do abandono de velhos interesses e do surgimento de motivações criativas, desafiadoras e instigantes. Pode também, é claro, estar nos alertando para a chegada em nossas vidas de uma pessoa com essa característica de uma mente brilhante, uma fascinante capacidade de comunicação, mas no fundo bastante insensível a respeito dos interesses ou sentimentos alheios. Romanticamente poderíamos exemplificar com a figura de um Don Juan: pertence apenas a si mesmo e suas paixões são avassaladoras mas verdadeiros “fogos de palha”, nada duram. Haverá, para ele, sempre algo novo e diferente a ser conhecido, aprendido, conquistado. Ele chega a galope, passa mas não apeia da sua montaria. Pelo menos não o tempo necessário para estabelecer raízes.

A psicologia costuma definir essa personalidade como puer eternum, ou seja, a eterna criança, aquela pessoa que no fundo, no fundo, teme as responsabilidades e portanto fica pulando de galho em galho: dedica-se completamente ao estudo de uma filosofia, compra todos os livros, faz contatos em todos os fóruns afins na internet, estabelece redes de amigos, abre sites a respeito, inscreve-se em cursos, seminários, viaja para congressos a respeito, é convidado para dar palestras a respeito, come e dorme vivenciando e explorando cada vez mais profundamente aquele seu interesse. Até que um dia, quando já está bastante conhecido pelos demais interessados, quando suas opiniões são respeitadas, citadas e o seu tão aguardado livro a respeito já está negociado com a editora ele simplesmente desaparece para ser encontrado queimadíssimo de sol, cabelos parafinados, pegando onda no Havaí!!!

São pessoas que precisam constantemente de novos estímulos, de sempre estar vivendo em ritmo de aventura, de não criar vínculos de responsabilidade com uma única idéia ou por uma única causa até mesmo porque os conflitos, as ambivalências, as dualidades e o constante fluxo de idéias além da necessidade de mudança e movimento lhe são vitais. Seu único compromisso real é com suas idéias, sua filosofia, seus pensamentos daquele e naquele momento e com eles criar uma estrutura na qual passa a basear as suas verdades pessoais.

Quem de nós nunca cruzou com alguém assim? Uma pessoa que no seu entusiasmo, na sua desenvoltura, na sua autoconfiança, na sua altamente flexível imaginação, na sua ansiedade e objetividade acaba nos inspirando uma profunda impressão. Mas devemos estar alertas para a sua “sombra”, aqueles aspectos da sua personalidade que não são de todo ideais, lembrando que ele é movido pelos ventos da novidade, pelo fogo da paixão, do estímulo do momento, dedicando-se de corpo e alma, mas abandonando tudo para trás, num verdadeiro caos, numa incompletude de resultados assim que seu interesse diverge para algo novo, diferente.

O Cavaleiro de Espadas representa, também, o nosso talento para acompanharmos as mudanças que a vida e os nossos interesses nos propõe. Nossa adaptabilidade e defesa das nossas crenças, dos nossos sistemas, da nossa filosofia. A maneira turbulenta, volátil e rápida com que ele “voa” pelo mundo das idéias e pela vida é a sua proteção contra a monotonia de um cotidiano sem graça, previsível, sem perspectivas, sem riscos, sem paixão e fé. Talvez nesse seu movimento, nesse seu incansável e inesgotável fluir de idéias, análises, interesses, experiências e avaliações ele acabe ampliando a própria visão do que é a existência e do quanto ela tem para nos oferecer e… pode haver experiência mais arrebatadora?

Bom dia!

Fizeram a gente acreditar que amor…

 

agora1125

 

Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é racionado nem chega com hora marcada.

Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais rápido.

Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada “dois em um”, duas pessoas pensando igual, agindo igual, que isso era que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável.

Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são caretas, que os que transam muito não são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Ninguém nos disse que chinelos velhos também têm seu valor, já que não nos machucam, e que existe mais cabeças tortas do que pés.

Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que poderíamos tentar outras alternativas menos convencionais.

Martha Medeiros