About Mistico Online

O Místicos Online® é uma empresa que presta serviço de Consultoria Esotérica Online desde 1999. Temos como linha de trabalho a transparência, seriedade, sigilo, o profissionalismo e acima de tudo o primordial objetivo de orientar o cliente sobre os melhores caminhos e decisões a tomar de forma que ele possa trilhar seu futuro com assertividade, segurança, sabedoria e tranquilidade. Nossos profissionais dispõem de sólido conhecimento, vasta experiência e habilidades para apoiar o cliente em aspectos e áreas essenciais como Física, Espiritual, Intelectual, Familiar, Profissional, Financeira, Social... Durante o atendimento são utilizados oráculos específicos que varia de acordo com cada consultor: Tarots, Baralho Cigano, Runas, Buzios, Pêndulos, Mesa Radiônica Quântica, Astrologia, Numerologia, dentre outros. O serviço de consultoria é realizado através de chat de texto ao vivo ou e-mail, escolha que fica à disposição do cliente. ● Na modalidade CHAT o valor da consulta é tarifado por minuto. O valor atual por minuto conforme tabela é de R$ 1,99. Quem define o tempo de atendimento é o próprio cliente, no momento da aquisição de créditos. ● Já na modalidade E-MAIL o valor é fixo em R$ 35,00 por e-mail. Em ambas as modalidades o cliente expõe quais são suas necessidades e o consultor - avaliando o cenário com o apoio dos oráculos - debate junto ao cliente as melhores decisões e posturas que podem ser adotadas. Caso precise, você pode encontrar maiores informações acessando o menu "Tire Suas Dúvidas" ou ainda acionar o nosso Suporte ao Cliente. Agradecemos a sua visita. Namastê!

RAPÉ – Segredos da cultura Xamânica.

Putanny tomando rapé - cantos arredondadosO rapé é um pó feito geralmente de tabaco e outras ervas e cinzas de árvores que são moídos e transformados em um pó fino e aromático que é aspirado ou soprado pelas narinas. Seu uso é ancestral e já esteve bem presente em diversos lugares e épocas. Porém seu aspecto mais interessante é o uso pelas tribos indígenas e pelos caboclos da floresta, que o utilizam para diversos fins, entre eles medicinais e cerimoniais. Tomei contato com rapé através de amigos de jornada que me apresentaram em momentos especiais, onde pude receber e perceber no rapé um aliado de valor, que assim como outras substâncias dos reinos vegetal, mineral e animal que existem nas florestas, estão ai para auxiliar e ensinar aqueles que puderem compreender que onde há vida, existe uma ciência, um ensinamento divino, que pode nos auxiliar em muitos aspectos, inclusive físicos, mentais e espirituais.

Acredito na importância da valorização dessa cultura e das medicinas naturais tradicionais e ancestrais existentes e na importância do resgate histórico e preservação desses conhecimentos que correm o risco de desaparecer em meio a atual banalização de valores e de tudo que é simples e natural, que vivemos hoje.

O tabaco aqui citado, não é industrializado, e sim o Tabaco Xamânico,uma planta ancestral. O Tabaco sempre foi considerado pelos índios como uma Planta de Poder, porém caiu em mau uso pelos brancos, perdendo sua força original e seu poder, sendo usado de forma viciante, responsável por terríveis males no organismo.

O tabaco selvagem é uma planta muito poderosa e curativa, em seu estado original e na forma correta de sua utilização. O tabaco é considerado uma das plantas mais sagradas do xamanismo. Ele fumado no Cachimbo Ritualístico, carrega as preces para o Universo.

É usado para fazer oferenda aos guardiões, ao Grande Mistério, etc. Fumar tabaco ( em ritual ) é evocar o Plano Espiritual.

Desde a aparição da Mulher Búfalo Branco para os nativos norte-americanos, o tabaco é considerado uma planta que traz claridade. Ele é o totem vegetal da Direção Leste, do Elemento Fogo. E, como tudo que é fogo, é ambíguo. Pode elevar, transmutar ou pode destruir. Quando o tabaco é utilizado espiritualmente, traz purificação, centramento, transforma energias negativas em positivas, serve de mensageiro. Quando utilizado como vício pode matar. É utilizado no Xamanismo Universal. No Perúu é fumado em rituais na Pipa ( cachimbo ) e na forma de cigarro. Os ayahuasqueiros chegam a dizer que “Sin tabaco! Sin la Ayahuasca!” Geralmente o fumo não é tragado ( tragar é coisa do vício ).

No Peru também extraem o mel de tabaco, um poderoso alterador de consciência.Podemos ver nos rituais afro ( candomblé, umbanda, etc) a utilização do tabaco pela entidades, fazendo purificações, passes, exorcismos, oferecer charutos em despachos,etc.

No Chanumpa (EUA), para cada pitada de tabaco, convida-se um espírito para participar do ritual. Ele também é ofertado para os espíritos, para o fogo, utilizado para abrir portais da mata, honrar a Criação, confeccionar bolsas medicinais, pacote de preces, etc.

O tabaco é uma planta de grande ajuda. Utilizada para defumação ou no Cachimbo Sagrado, ele pode, trazer novos começos para quem quer que o esteja usando ou para quaisquer projetos ou lugares para o qual ele é queimado.

O tabaco é considerado uma das plantas mais sagradas, por muitos povos nativos. Para os nativos norte americanos, quando fumado no Cachimbo Sagrado, ele carrega as preces para os espíritos. Com frequência, é usado para se fazer oferendas para os Espíritos Guardiões. Fumar tabaco é chamar o plano espiritual para ajudar. Segundo Sun Bear, se alguém fuma por diversão, estará continuamente chamando Espírito para si com um falso alarme. A maior parte do tabaco comprado em lojas é misturado com material químico, nocivo a saúde.

Existem estudos que dizem que o rapé tem o poder de ativar o sistema límbico do cérebro. Entre os mateiros brasileiros, eles utilizam-se do rapé, para se harmonizarem com os seres da floresta. Lembrando que o tabaco utilizado é sabiamente escolhido pelos mestres do rapé. O tabaco, que é chamado na região de Porronca, tem várias origens, ao longo do Rio Juruá, e obviamente, alguns se destacam pela qualidade e pela pureza, entretanto, são todos orgânicos, ou seja não levam venenos, pesticidas, herbicidas, defensivos ou outro produto de infame sinônimo na sua produção.

Como podemos perceber o Tabaco é e sempre será um valioso instrumento de Poder e Cura para os males que assombram os seres humanos. Porém, é preciso cuidado e sabedoria em seu uso, para não cairmos nas correntes do vício.

O RAPÉ INDÍGENA

O rapé é uma tradição cultural e espiritual dos povos Katukina, Yawanawá e de outras tribos da região. Ele é usado como consagração depois do trabalho, para desabafar, relaxar, esfriar a memória. Ele pode ser usado a qualquer hora e tira o enfado físico mental e espiritual, quando nasce um novo pensamento, uma idéia nova. O rapé é preparado com muito carinho, usando-se tabaco e cinzas de outras árvores, dentre elas o Tsunu.

Dentro da tradição indígena , não se “aspira” o rapé. Ele é sempre “soprado” por outra pessoa ou por quem vai tomar o rapé. Soprado para dentro das narinas através de um instrumento tipo um bambu oco, o Tipí, e aplicado por um pajé ou por outra pessoa e provoca uma forte reação nos mais inexperientes. Seu efeito é rápido e após isso sente-se um grande bem estar e disposição, fora a limpeza das vias aéreas, que ele proporciona. Relatam que o rapé se usa para esfriar o corpo, pois quando se trabalha muito debaixo do sol, ao ir tomar banho de água fria das cacimbas, pode-se pegar um resfriado, e é bom cheirar rapé antes. Além de estimulante, portanto, o rapé também faz baixar a pressão. O rapé também é usado para caçar e para tirar a “panema” (preguiça) e na hora da cerimônia do Uni (ayahuasca). As duas energias se unem e o Uni vem com mais luz, mais perfeito, mais profundo.

A pessoa que aplica deve saber o que faz, pois tanto o modo como ele pega o pó da mão com o tipi, a maneira que assopra, e o que pensa quando assopra, influenciam positivamente, ou negativamente o trabalho. Ou seja, o mesmo rapé aplicado por duas pessoas diferentes certamente não será o mesmo rapé e, assim, o efeito também não será o mesmo. Também pode ser aplicado pela própria pessoa com um auto aplicador, um tipi bem curto, denominado Kuripe. Ele é bem curto, e cabe no espaço entre a boca e o nariz, e é pessoal, como escova de dentes.

Por:  Rafael Guimarães

O melhor de você no outro.

2a2c33c356f738614752a93b28070c45

Se encontrou alguém capaz de despertar o melhor de você. O melhor na cama. O melhor na família. O melhor no trabalho. O melhor na viagem. O melhor no desespero. É o meu conselho, case. Porque somos julgados por aquilo que fizemos, é difícil achar uma pessoa que nos julga por aquilo que podemos fazer. Já não é somente amor, mas fé.

Se encontrou alguém que não é preciso muito para ser feliz, case.

Se encontrou alguém que precisa de muito para ser triste, case.

Se encontrou alguém que valoriza a sua profissão, que lhe reconhece como exemplo, que pede abertamente o seu apoio, que convoca a sua opinião, case.

Se encontrou alguém que brinca sem ofender e tampouco foge dos compromissos, que é adulto e criança no momento certo, case.

Se encontrou alguém que inventa códigos e expressões, uma língua só dos dois, feita de lembranças e observações comuns, case.

Se encontrou alguém que dá conselhos durante os dilemas, amparo nas crises e festeja as suas conquistas, case.

Se encontrou alguém que mostra o quanto é fundamental e indispensável na vida, que nada seria igual sem você, case.

Se encontrou alguém que não disputa quem tem razão, que não sofre ciúme de seu sucesso, que lhe inspira a falar de suas ideias, case.

Se encontrou alguém que desfaz mal-entendidos rapidamente, que não suporta ficar brigado, que não está interessado em desmascarar as suas atitudes, que perdoa as suas incoerências involuntárias, que ri de suas bobagens, case.

Se encontrou alguém que lhe sopra respostas de tanto que torce para que acerte, que será direto e não testará a sua lealdade, case.

Se encontrou alguém que respeita o seu silêncio e nunca sai de perto, jamais deixa de oferecer abraços mesmo na quietude, que sinaliza que está perto para qualquer coisa, case.

Se encontrou alguém que se diverte com os seus filhos e amigos, que chama todos para a sua casa, que não gera discórdia entre os seus afetos, que não restringe conhecidos, case.

Se encontrou alguém que não recrimina os seus defeitos, que não pressiona as suas dúvidas, que não lhe encabula por repetir perguntas, case.

Se encontrou alguém que não corrigirá a sua ansiedade, não subestimará os seus medos, case.

Se encontrou alguém que larga bilhetes pela casa, que escreve longos e-mails na saudade, que pergunta como você dormiu toda a manhã, case.

Se encontrou alguém que lhe surpreende com gentilezas e procura o seu ombro no cinema, case.

Se encontrou alguém que bebe nas festas para beijar ainda mais a sua boca, que dança para criar cumplicidade com os seus passos, case.

Se encontrou alguém que não cansa de dizer como se conheceram, que não mede elogios para a sua companhia, que combina sinceridade com modo de falar, case.

Se encontrou alguém que é interessado em dividir as manchetes, que não lhe deixa fora do mundo, que gosta de atiçar a curiosidade, que manda imagens, músicas e pensamentos pelo simples fato de pensar em você, case.

Se você encontrou alguém que divide  piadas e segredos, que lhe reserva as  maiores confidências, case.

Não é somente a pessoa que precisa, porém a que merece.

O amor é raro, mas às vezes acontece de ser sublime.

Fabrício Carpinejar

Oração a Grande Mãe

36b1052c44de9dfbbecbef43733e926b

Oração à Grande Mãe

“Mãe Nossa, que estais no céu, na terra e em toda a parte .
Bendita seja a Tua beleza e a Tua abundância .
Traz aos nossos corações a chave que abre o portal
do amor.
Que cada um de nós possa respeitar os caminhos de
todos os seres.
E que o exercício do perdão faça parte de nossa 
existência.
Que possamos acolher em nossa mesa aqueles que
querem partilhar conosco o alimento sagrado.
Mãe Nossa, que estais no céu, na terra e em toda a
parte .
Que o Propósito maior guie os nossos passos,
e que a batida dos nossos corações possa se unir ao
toque do coração da terra.
E assim possamos pulsar em um só ritmo.
Que as estrelas nos guiem nas noites escuras.
E que o sol brilhe intensamente em nossos corpos.”
Hey Grande Espírito!
Hey Grande Mãe !
Hey Xamã !

“Arcano regente da semana – A Purificação”

7deouros

Encontro com sua essência…

Este é um momento de encontro consigo mesmo.

Parece que agora tudo está claro.

Seus ideais se delineiam na sua frente.

Você se sente em sintonia com tudo, como se o universo tivesse aberto um canal de livre fluência para você.

Com isso você passará a entender muito melhor os outros e a vida também.

Passando a ver os erros alheios como dificuldades, se sentirá mais leve, e passará a aceitar melhor a forma dos outros viverem.

Consciente da direção que você quer a sua vida, estará apto para tomar decisões, você não quer se dispersar em situações que confundem seus objetivos.

Você estará fazendo uma limpeza geral nas suas atividades, em função de concentrar toda a sua energia nestes canais que permitem você aprender e cooperar com o que você tem de melhor. Oportunidades e situações vão surgir trazendo a confirmação que você está no caminho certo, com isso todas as dúvidas serão eliminadas.

No geral:
Esclarecimento que traz eliminação de dúvidas e mágoas. Reconciliação. Alívio de ressentimentos. Uma limpeza na sua vida afetiva, mas, do coração, abrindo mais espaço para amar…. 

 

Arcano da Semana – A Torre

crowley-16

O primeiro ponto importante é que temos que ter consciência de que apenas cai aquilo que não tinha uma base sólida o suficiente para aguentar o raio ou o terremoto. Cai o que não tinha estrutura para se sustentar e por isso, se vem a queda, é porque nem tudo era assim tão seguro como imaginávamos. Isso significa que quando cai a Torre, podemos ver ali na carta que a base continua, ou seja, tudo aquilo que foi bem construído se mantém, o que permite que uma nova construção seja feita em seu lugar.

Além disso, temos que perceber que o que cai na verdade são as máscaras, é aquilo que usamos para nos proteger do mundo e nós mesmos. Criamos falsas estruturas para fugir da realidade e nos proteger inclusive da nossa essência. Nos prendemos no castelo e quanto mais alta essa torre que construímos, maior será a nossa queda.

Por isso, um dos conselhos que a carta da Torre nos dá é que sempre temos a opção de fazer a mudança por bem, de descer do topo do castelo antes que seja tarde demais. O raio está a caminho e vai nos lançar. Por isso, melhor sairmos na frente e fazer a mudança logo de uma vez.

Além disso, temos que ter esperança, lembrando que o próximo arcano é a Estrela, arcano da fé e da liberdade. Só que para vivermos toda felicidade que o próximo arcano nos promete, temos antes que nos despir de todas as falsas verdades e estruturas que cercam a nossa vida. Temos que nos lançar livres de tudo que nos aprisiona e que nos limita. Temos que abandonar tudo que não serve mais, pois só assim conseguiremos construir uma realidade mais profunda e verdadeira.

Em outras palavras, a carta da Torre pede mudanças e elas são inevitáveis. Podemos, com elas, ser levados ao fundo do poço, mas só assim conheceremos profundamente a nós mesmos e nos fortaleceremos para seguirmos adiante.

A carta da Torre, muitas vezes e justamente por tudo isso, é a grande oportunidade que a pessoa tem de se libertar daquilo que não serve mais e que ela não sabe como fazer. É, muitas vezes, o empurrão que a pessoa precisa para transformar e se libertar.

Por isso, quando estamos vivendo a Torre, temos que aprender a desapegar e acreditar que se a mudança for bem feita, logo vem a Estrela e então podemos reconstruir tudo do nosso jeito, sem falsas verdades e sem medos, de acordo com nossa própria verdade e rumo à verdadeira felicidade.

Por Titi Vidal

As Moiras e o Destino Humano

 

6b6a23914dceb57b5308f1808a99e48b

Na mitologia grega as três Moiras, são as Deusas do Destino. Elas são personificação do destino individual de cada ser humano neste mundo e dos deuses também.

São originalmente, filhas da Noite (Nix) e concebidas sem pai.

Eram em número de três e se chamavam Cloto, Láquesis e Átropos, tendo cada uma função específica.

Cloto era a fiandeira, Láquesis a mediadora e Átropos a cortadora.

Dentro de uma caverna elas teciam o fio da vida de cada homem em uma roda e nenhum outro deus poderia interferir em seu trabalho, nem mesmo Zeus ousava se colocar entre elas.

As voltas da roda posicionam o fio do indivíduo em sua parte mais privilegiada (o topo) ou em sua parte menos desejável (o fundo), explicando-se assim os períodos de boa ou má sorte de todos, sem exceção.

Conforme Junito Brandão no livro Mitologia Grega, vol1:

Originariamente, cada ser humano tinha a sua moîra, a saber, “sua parte, seu quinhão”, de vida, de felicidade, de desgraça.

Impessoal e inflexível, a Moîra é a projeção de uma lei que nem mesmo os deuses podem transgredir, sem colocar em perigo a ordem.

No Tarô Mitológico, de Juliet Sharman-Burke e Liz Greene, o trunfo da Roda da Fortuna é representado pelas três Moiras.

A Roda da Fortuna é uma carta que simboliza os ciclos sucessivos da vida humana, como o movimento de ascensão e de queda. Assim como os pares de opostos presentes na existência humana como o bem e o mal, alegria e tristeza, vida e morte, o negativo e o positivo.

É uma carta de movimento, de mudança brusca de vida. Mudança essa desconhecida pelo sujeito.

Existe uma lei misteriosa que atua dentro de cada indivíduo que, por sua vez, determina as súbitas mudanças de vida tanto positivas como negativas, alterando todo o padrão de vida de cada um. E nem os deuses possuem o controle sobre isso (lembrando que nem Zeus ousava desafiá-las!).

Portanto, esse arquétipo vem nos lembrar que nós não possuímos controle sobre tudo em nossas vidas e muitas vidas uma tragédia nos acomete sem nenhuma explicação. É simplesmente o destino. Estamos na posição mais baixa da roda.

Para o ego, acostumado a buscar explicações para tudo, é extremamente desconfortável admitir isso, pois somente nos damos conta de sua atuação por meio dos elementos externos, que chamamos de destino.

Esse arquétipo, portanto, nos remete à vivência de um outro que mora dentro de nós e que escolhe ir em direção a várias situações, pessoas e caminhos.

Aceitar esse outro e lembrar que ele faz parte de nós mesmos nos trará paz mediante as mudanças súbitas que se configurarão em nossas vidas. Afinal o destino não vem ao nosso encontro, somos nós que vamos ao encontro dele!

Por: Hellen Reis Mourão

A Magia das Velas e os dias da Semana

06364e20dcc8f04a7e61b1f1a287e92d

Ao acender uma vela devemos ter em atenção o dia da semana em que vamos acender, porque também estes têm significados distintos, e estão ligados a anjos com funções diferentes.

Domingo – dia do Sol – Arcanjo Miguel – Favorável ao sucesso profissional, financeiro e ao reconhecimento do seu trabalho.

Segunda-feira – dia da Lua – Arcanjo Gabriel – Favorável ao desenvolvimento da intuição, ao relacionamento familiar, aos problemas femininos, ao sucesso e proteção em viagens e mudanças definitivas.

Terça-feira – dia de Marte – Arcanjo Samael – Favorável a tudo que exige coragem, às grandes realizações, à comunicação e à proteção em momentos perigosos.

Quarta-feira – dia de Mercúrio – Arcanjo Rafael – Favorável à rapidez mental, ao estímulo da inteligência, ao raciocínio rápido, às vendas ou assinatura de papéis.

Quinta-feira – dia de Júpiter – Arcanjo Sequiel – Favorável às finanças, formação de sociedades, assuntos filosóficos, aquisição de bens, viagens, solicitação de favores à autoridades religiosas ou governamentais.

Sexta-feira – dia de Vénus – Arcanjo Anael – Favorável ao amor, às artes, aos problemas do lar, ao magnetismo pessoal e às relações diplomáticas.

Sábado – dia de Saturno – Arcanjo Cassiel – Favorável às orações para obter saúde, combater a má sorte, pedir proteção, para os estudos, e consciência das responsabilidades.

Ao acender a vela, crie uma imagem mental, sem palavras, daquilo que deseja para si. Deixe-a arder durante sete dias, ou acenda uma da mesma cor todos os dias, até que o ciclo se complete, mas não se esqueça de esfregar sempre cada nova vela entre as mãos.

A explicação para o uso de velas coloridas tem a ver, segundo os especialistas, com a cor da nossa aura, e quando visualizada uma determinada cor, o cérebro atua de forma a que a aura a reflita.

Também a forma como a vela arde tem significados diferentes:

Se a vela não acende prontamente, o anjo desse dia pode estar com dificuldades para se manifestar, em parte devido às más influências que o ambiente em seu redor apresenta;

Quando a vela queima com uma luz azulada, significa que tem perto de si a presença do anjo e de fadas, o que é um bom sinal.

Uma chama vacilante significa que o seu pedido efetuado ao acender a vela pode vir a ter algumas alterações e se a chama levanta e baixa, (sem ser por causa de uma corrente de ar) isto quer dizer que a sua mente não está concentrada naquilo que está a fazer.

Quando a chama lança algumas fagulhas, alguém irá ajudá-la a resolver o problema, embora possa vir a ter algum desapontamento em relação ao que pediu;

Se a chama se apresenta em espiral, significa que o seu pedido está sendo levado

Se a vela se apagar, isto não quer dizer que não conseguirá o que pretende, mas sim que o anjo realizará a parte mais difícil do pedido, mas cabe-lhe a si resolver o resto.

Também a observação do pavio é importante na obtenção dos seus desejos:

Se este se dividir em dois, quer dizer que o seu pedido não foi feito corretamente e que pode ter mais do que uma interpretação

Se ficar brilhante significa que a sorte está do seu lado e verá o pedido realizado.

No caso de, ao fim de sete dias a vela se apresentar ainda com pavio e um pouco de cera em redor, isto significa que o anjo está precisando de mais tempo de oração, e o melhor é repetir todo o ritual.

Quer seja para pedir algo, para dar um ambiente diferente em sua casa, ou mesmo para criar uma esfera romântica, siga o nosso conselho e acenda uma vela. Verá que as coisas ficam bem diferentes.

Boas Vibrações!